PT    EN

O que é Movimento Hizmet?

Abaixo você encontrará uma transcrição não editada de uma apresentação* sobre o Movimento Gülen que fornece informações valiosas e uma visão geral concisa.

Movimento Gülen: Uma Visão Geral

Gostaria de começar agradecendo ao Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais, por sediar esta apresentação e, em particular, ao Dr. Aliriza pelo convite e organização deste encontro. Eu tenho alguns esclarecimentos a fazer: Primeiro, eu não falo em nome de qualquer instituição. As opiniões aqui apresentadas pertencem apenas a mim, pessoalmente, e não representam de forma alguma a posição oficial de qualquer instituição ou do Movimento em geral. Em segundo lugar, eu não vim aqui como um especialista sobre o assunto, mas como um estudioso de história turca, política e sociedade, e também como uma pessoa cuja compreensão cultural tem sido influenciada pela ética de serviço do Movimento Gülen.

1. Uma tentativa de descrição e um breve histórico do desenvolvimento do Movimento.
2. Valores e ideais dos participantes do Movimento.
3. Campos de atividade, instituições e organizações que são consideradas parte do Movimento.
4. Mecanismos de participação e captação de fundos.
5. Dinâmicas culturais e sociais que sustentam o crescimento do Movimento.
6. Pontos de vista de Gülen ou dos participantes do Movimento sobre questões fundamentais como democracia, secularismo, adesão da Turquia à UE, o papel das mulheres, a questão curda, a questão alevita, minorias religiosas e diálogo inter-religioso, não-violência, ciência e artes.

Deixe-me começar com uma tentativa de descrição do Movimento.

Descrição e Histórico

O chamado Movimento Gülen é um movimento da sociedade civil. Começou como um grupo de serviço comunitário composto por estudantes, professores, pais e proprietários de pequenas empresas junto ao estudioso turco e pregador Fethullah Gülen, na cidade de Izmir. Para uma referência mais fácil, agora, este grupo é chamado de Movimento Gülen, especialmente, pelos estudiosos ocidentais por causa de sua principal fonte de inspiração. Seus participantes, no entanto, muitas vezes, o chamam Hizmet ou Serviços Voluntários (Movimento). Quanto a Gülen, ele prefere se referir a ele como "movimento de seres humanos unidos em torno de valores humanos elevados." O Movimento se originou no final dos anos 1960, na Turquia, como uma iniciativa (ou inspiração islâmica) baseada na fé, em torno da criação de oportunidades educacionais, na forma de bolsas de estudo, dormitórios, escolas e centros de ensino. Ao longo de quatro décadas, desde então, tem crescido como um movimento transnacional, educacional, intercultural e inter-religioso, com o número de participantes chegando aos milhões, incluindo centenas de fundações, empresas, associações profissionais, associações formais e informais, porém legais, de vários tipos. O primeiro grupo de pessoas associadas a Gülen eram estudantes universitários, frequentadores de mesquitas locais e o público que frequentava sessões abertas de perguntas e respostas, seminários e reuniões em cafeterias. Os alunos do centro de estudo/dormitório de Kestane Pazari, em Izmir, onde Gülen serviu como o diretor, também foram muito importantes nas fases iniciais do desenvolvimento do Movimento. Nesta etapa, além de discursos públicos, Gülen participou de conversas em mesas de chá. Onde pessoas discutiam valores e ideais, como a promoção e investimento em educação de qualidade.

A próxima etapa foi o estabelecimento de instituições por educadores e empresários, inspirados pelo constante encorajamento de Gülen a investir em educação. Instituições, por exemplo, incluem dormitórios, escolas de ensino primário e secundário e centros de ensino. Na etapa seguinte, houve incentivo para estabelecimento de organizações midiáticas. Nesta fase, começamos a ver a mídia como uma continuação da iniciativa educacional para as massas. Na próxima fase, as associações profissionais e organizações intelectuais/culturais foram criadas em locais diferentes por indivíduos com ideais em comum. Após o colapso da Cortina de Ferro, no final da década de 1980, com as instituições educacionais estabelecidas e funcionando, o Movimento tornou-se transnacional, expandindo em particular para países da Ásia Central com fundo cultural turco. Em paralelo à institucionalização e transnacionalização, o Movimento se empenhou fortemente no diálogo inter-religioso, em antecipação e prevenção às chamadas teorias de confronto que seriam promovidas por outros, depois de um tempo. Hoje, como não há uma sede central, não se sabe o número específico, contudo, baseados na cobertura da mídia, estima-se que centenas de escolas existam na Turquia, além de um número semelhante de tais instituições em cinco continentes. Todas inspiradas pela vida e obra pacífica de Gülen. Em cada cidade da Turquia, é possível encontrar alguma instituição de ensino ou outra atividade cultural que pode ser associada ou inspirada pelo Movimento. O Movimento cresceu a partir de um punhado de indivíduos ligados a Gülen, no final da década de 1960, e chega aos milhões, nos anos 2000, é impossível que Gülen possa conheçer ou atender, pessoalmente, a maioria deles. Como isso aconteceu? O que era tão atraente para o povo turco que entrava em contato com o Movimento?

Mensagem e atração

No da década de 1960, ou início de 1970, a mensagem de Gülen sobre profunda fé e pratica religiosa, altruísmo e ação foi transmitida contra um cenário de pobreza, corrupção e decadência moral. Prevaleciam intervenções não-democráticas, restrição à expressão religiosa na vida pública, embates políticos e ideológicos. Haviam muitas tensões entre sunitas e alevitas, turcos e curdos e os estilos de vida de muçulmanos praticantes versus cidadãos seculares. Mas o mais importante, confrontos armados, políticos e ideológicos, entre "comunistas", "fascistas" e radicais religiosos resultaram na morte de milhares de jovens, nas ruas. Além disso, tensões entre modernidade e tradição e uma infinidade de outros problemas prejudicaram o sistema educacional.

O que atraia as primeiras audiências era a abordagem abrangente de Gülen sobre indivíduo, sociedade, nação e a humanidade em geral. Gülen identificou a pobreza, as rivalidades (divisões, na Turquia), e a falta de boa educação como os principais problemas que assolavam o país. Em especial, Gülen representava e ensinava o seguinte:

1. Mudar a si mesmo, para assim, se tornar um melhor crente e praticante da fé. Ao se examinar a retórica de Gülen, pode-se facilmente determinar que ele foca este aspecto mais que outros.

2. Servir a algo maior do que a si próprio. Não basta cuidar de seu próprio interesse, mas esforçar-se a um objetivo maior. Por que não criar uma Turquia mais prestigiada? Por que não criar uma humanidade de paz? De acordo com Aydin Bolak, ex-presidente da Fundação Turca de Petróleo e da Fundação Turca de Educação, Gülen trouxe um nova visão aos jovens turcos que estavam sendo treinados para satisfazerem seus interesses/objetivos pessoais.

3. A educação é a chave para a solução de nossos principais problemas: ignorância, divisão, pobreza. E a chave para uma educação voltada a melhorias é ter professores e administradores que "representam" (temsil, em turco) os valores apreciados pelas pessoas. Investir em educação. Se você é jovem, capaz e disposto, escolha o ensino como profissão. Se você é uma pessoa de negócios, apoie uma escola financeiramente. Se você é um pai, incentive uma educação de qualidade e ajude a construir uma escola em sua localidade. Em suma, todo mundo pode fazer algo sobre qualquer projeto de educação. Mais tarde, outros projetos, tais como meios de comunicação, hospitais, ajuda humanitária em desastres e combate à pobreza foram iniciados, o que apelou a todos os segmentos da população.

4. Não espere tudo do governo. Como participante de uma iniciativa civil, faça algo você mesmo, e não delegue suas responsabilidades totalmente ao governo, em tom semelhante ao da famosa frase de Kennedy "não pergunte o que seu país pode fazer por você, mas o que você pode fazer por seu país." Se você é uma pessoa de negócios, negocie, forme parcerias e participações, tornem-se ricos e doem para caridade, sem expectativa de retorno, ajude sua comunidade.

5. Ao invés de isolar-se ou ser reacionário à vida pública, estejam presentes em todas as instituições da nossa sociedade com a intenção de servir, inclusive no judiciário, departamentos públicos, setor militar, mídia, arte e negócios. Os cidadãos religiosos do país têm evitado essas instituições devido a preocupações beatas. Eles tendem a enviar seus filhos, principalmente, para escolas de Alcorão e escolas de imãs/pregadores. Como consequência, suas expectativas ou visão de mundo raramente têm sido valorizadas ou representadas nas instituições estatais ou públicas.

6. a síntese bem-sucedida ou a integração de religião, modernidade, patriotismo, democracia, ciência, artes, secularismo e ação positiva. De acordo com Bolak, a combinação de fé, espiritualidade e ciências de Gülen ofereceu a melhor expressão do entendimento turco do Islã.

7. Expansão, inclusão, visão extrovertida e integracionista. Da comunidade ao movimento, do movimento transnacional à toda humanidade. Aceitando a todos como são, em suas respectivas posições.

Certos fatores desempenham um papel-chave para o sucesso do Movimento:

1. Natureza Popular: Os participantes do movimento não são diferentes da população comum da Turquia, em termos de etnia, cultura, religião, classe social, e atitudes em relação à violência. Entrada e saída são gratuitas e abertas a todos. Este é um projeto aberto a qualquer pessoa que queira se tornar parte dele. Associação e dissociação são completamente voluntárias.

2. Certos princípios dos participantes do movimento eram muito atraentes para o cidadão comum. Incluindo:

Altruísmo e a ausência de qualquer interesse pessoal. Gülen dá o exemplo, pois não possui riquezas ou propriedades e, até mesmo, desencoraja seus parentes de perseguirem riqueza (ver Faruk Mercan).

• Confiança e independência: Nunca houve uma suspeita crível de autointeresse financeiro ou de ajuda ou intervenção externa.

Respeitar a lei sempre foi um princípio fundamental. Respeito para com o Estado, ao invés de tentar causar uma “queda de Estado”, e democracia ao invés de ataques ao governo, também, foram notados por sua audiência, que percebiam o governo como legítimo, apesar de algumas preocupações sobre corrupção e políticas opressivas.

• Outro princípio importante foi o não-partidarismo. Não havia permissão para quaisquer divisões por motivo político. O Movimento sempre teve uma perspectiva abrangente, na qual cada cidadão é visto como um futuro participante potencial. Gülen recusou propostas para apoiar partidos políticos ou candidatos em todas as ocasiões.

Valores e ideais

Os valores discutidos e promovidos por Gülen podem ser exemplificados pelos títulos de uma série de artigos que escreveu para revistas populares ou pelos títulos das transcrições de sermões e palestras que deu. Alguns desses valores incluem consciência profunda da fé, altruísmo, igualdade, tolerância, amor, esperança, modéstia, cortesia, a natureza complementar da ciência, racionalidade e espiritualidade, diálogo inter-religioso e liberdade de pensamento.

Uma olhada na lista de uma série de sermões de Gülen é, também, instrutiva:

  • Justiça Social - Ictimai Adalet;
  • Ética e Moralidade: valores e virtudes (Ahlak);
  • Família e Educação Infantil;
  • Oração Ritual;
  • A vida após a morte;
  • O mundo metafísico à luz do Alcorão;
  • Virtudes que elevam a humanidade;
  • A vida do Profeta Maomé;
  • Peregrinação;
  • Destino e Livre Arbítrio;
  • O jejum;
  • Mensageiros de Deus;
  • Zakah doações de caridade;
  • A crença na unicidade de Deus;
  • O mundo do coração; Alcorão e Ciência;
  • Reflexões sobre negócios e economia e frugalidade.
     

O livro intitulado “The Statue of Our Soul” (A Estátua de Nossa Alma) representa bem alguns dos valores promovidos por Gülen.

Campos de atividade, instituições e organizações incentivadas/inspiradas/estabelecidas por participantes do Movimento

Participantes do Movimento, inspirados pelo conhecimento, discursos, textos e ações de Gülen, criaram instituições de caridade e empresas que atuam nas áreas de educação, mídia, saúde, negócios e ajuda humanitária em desastres. Todas "descentralizadas":

Instituições de Ensino: De acordo com algumas estimativas, mais de mil instituições de ensino, tais como escolas primárias e secundárias, centros de ensino e salas de leitura, foram estabelecidas em todo o mundo inspiradas pelos ideias e a vida de Fethullah Gülen. Estas são escolas não-religiosas, não-sectárias, laicas, patrocinadas por empresários locais, educadores e dedicados pais altruístas. Independentemente da sua localização, estas escolas são símbolos de relações inter-religiosas e interculturais harmoniosas; unificação bem-sucedida de fé e razão; e dedicação ao serviço à humanidade.

• Instituições de mídia: jornais, revistas, TVs nacionais e locais, sites da Internet, rádios.

• Ajuda Humanitária em Desastres: Uma organização de ajuda humanitária “Kimse Yok Mu?”, Que foi criada com o incentivo de Gülen, tem sido fundamental para levar ajuda às vítimas de desastre em todo o mundo, como as vítimas do tsunami no Sudeste Asiático; inundações em Bangladesh; terremotos no Paquistão e Peru e da violência étnico-política em Darfur. A organização assumiu o patrocínio de uma aldeia em Darfur para a reconstrução de suas escolas e uma clínica médica.

• Saúde: Hospitais e serviços médicos.

• Associações profissionais: setores administrativos, profissionais liberais e outros.

• Associações Empresariais em cidades pequenas e grandes.

Mecanismos de Participação e Captação de Fundos

Novos participantes vêm a conhecer o Movimento através de vários caminhos. Estes incluem:

1. Relações pessoais ou interpessoais, redes sociais. Encontros com empresários, mulheres ou pessoas de várias profissões que participam do Movimento. Alguns destes encontros envolvem um convite semanal para um chá, onde são discutidos temas espirituais;

2. Na faculdade, centros de preparação pré-vestibular, em estadias com colegas em casas e dormitórios;

3. Reuniões com os membros de organizações profissionais estabelecidas por participantes do Movimento;

4. Através de publicações, áudio e vídeos, e instituições de mídia, como TV via satélite, canais nacionais de televisão, canais de TV locais, jornal Zaman e estações de rádio;

5. Ao participar de uma campanha de serviço social, como atividades e estudos organizados pela Kimse Yok Mu em catástrofes ou triagens sobre saúde;

Obtenção de Fundos: Himmet

O movimento tem sido muito cuidadoso ao rejeitar qualquer ajuda governamental ou contribuição financeira de fundações estrangeiras para manter sua independência e a natureza cívica de seus projetos. O principal mecanismo de captação de recursos do movimento é uma reunião chamada "himmet", que poderia ser traduzido como "promessa de doação." Isto é muito semelhante à noção de jantar para angariação de fundos, no ocidente. Esta reunião, geralmente, é realizada durante o mês do Ramadã, no qual acredita-se que os atos de caridade virtuosos são mais valiosos. Nesta reunião, os participantes fazem uma promessa de contribuição financeira ou em espécie a uma instituição ou uma fundação. (Para um estudo sociológico do processo de doação, consulte o livro da Dr. Helen R. Ebaugh)

Outros mecanismos de captação de recursos incluem promessas separadas de financiamento de bolsas de estudos para estudantes, doações em dinheiro para o sacrifício de animais, kermes ou eventos semelhantes a quermesses organizados por senhoras.

Todo mundo doa: Este é um princípio dentro do Movimento em que todos contribuem com um pouco de seu tempo e recursos financeiros. Para um empresário, uma taxa de contribuição típica de 10% pode significar um milhão de dólares por ano. Além da promessa financeira, os empresários são incentivados a fazer visitas de sensibilização a outros empresários e apresentar os projetos de movimento. Para um profissional liberal, uma promessa de 5% pode significar cinquenta dólares por mês. Ninguém é obrigado ou coagido a doar. Todas as doações ou contribuições são livres e se mantém um registro preciso do que foi doado a cada instituição, mas não uma direção ou comitê central do de todo o Movimento.

A participação nas atividades do Movimento é totalmente voluntária e não há adesão. Voluntários participam com:

1. Contribuições financeiras; 
2. Voluntariando seu tempo ou realizando sua profissão pro bono temporariamente;
3. Organizações de Kermes (quermesses) por senhoras;
4. Fazendo visitas de sensibilização;
5. Hospedando convidados ou reuniões em suas casas.

Dinâmicas culturais e sociais que sustentam o crescimento do Movimento

O rápido crescimento do Movimento, de alguns indivíduos a milhões dentro de quatro décadas, pode ser atribuído ao que eu chamo de "efeito cristalização." Se você se lembrar dos tempos de escola e do experimento com soluções supersaturadas, vai entender o que quero dizer. Se um copo de água é aquecido continuamente, pode diluir quantidades muito maiores de açúcar. Se esta solução for, então, esfriada e um grão de açúcar for jogado no centro, uma formação de cristais começará a crescer em torno do mesmo. Em seguida, aumentará até que todo o excesso açúcar que se encontra na água, se cristalize. O efeito de Gülen sobre o povo turco pode ser comparado a este processo. Os valores defendidos por Gülen não são novidade para seu público. Valores como fé, altruísmo, tomar a vida do Profeta como exemplo, valorização da ciência, diálogo, tolerância, fraternidade, luta em conjunto por uma sociedade melhor são valores preciosos ao coração turco. Mesmo os mecanismos de associação e participação, como sohbet e himmet não são novos. Suas raízes estão ligadas a valores religiosos como adanmislik, zakat, sadaqah, karz-I hasen, sohbet (encontros motivacionais ou inspiracionais em torno de uma mesa de chá ou café).

Natureza Organizacional

O movimento pode ser descrito como um conjunto de milhões de indivíduos com associações voluntárias múltiplas em centenas e milhares de fundações, empresas, associações profissionais, intelectuais e organizações culturais. O tema unificador entre estas instituições, em outras palavras, o que faz delas uma 'organização do Movimento ' são seus valores e ideais mútuos.

Algumas dessas instituições colaboram entre si para melhorar a eficiência. Por exemplo, as fundações em uma determinada cidade podem se reunir para designar áreas específicas de atividade e evitar a duplicação de esforços ou ineficiência.

Posturas Notáveis de Gülen

1. Condenação pública ao 11 de Setembro, entrevistas na mídia, livro, e Bin Laden.

2. A promoção da educação, mesmo que meninas tivessem que remover o véu.

3. Adesão da Turquia à UE. Cooperação entre civilizações.

4. Não abandono da democracia.

5. As mulheres podem ter qualquer papel na sociedade, incluindo juiz e presidente.

6. A não-violência desde o início do Movimento, ou seja, desde a década 1970.

7. Iniciativa de diálogo inter-religioso.

8. Profundidade espiritual religiosa. Foi chamado o Rumi dos tempos modernos por Sefik Can.

9. Ciência e religião em harmonia.

Opiniões de participantes do Movimento sobre questões fundamentais

Governo

Participantes do movimento veem o Estado como garantidor da ordem na sociedade, dos direitos individuais, dos direitos humanos, da justiça e igualdade.

Democracia

Fethullah Gülen, em várias ocasiões, repetiu sua convicção de que não haverá retorno à não-democracia. Citação: "Um ateu deveria ser capaz de viver como tal sem se preocupar, e um crente deveria ser capaz de viver uma vida religiosa plena." (Veja a entrevista de Mehmet Gundem, 2005) Ele sugere que a democracia é a melhor forma de governo concebido pela humanidade. Democracia vai continuar a melhorar a si mesma e para países como a Turquia, onde a democracia não está bem estabelecida, o fortalecimento da mesma proporcionará a melhor oportunidade para desenvolvimento, liberdade e melhoria da condição humana.

Secularismo

Seria justo dizer que os participantes do Movimento ficariam muito felizes se tivessem uma política secular como a dos Estados Unidos. Aqueles que vivem na Europa e nos Estados Unidos estão felizes de serem residentes/cidadãos ativos de suas respectivas sociedades.

Adesão da Turquia à UE

Participantes do Movimento são predominantemente pró-UE, devido às suas expectativas de fortalecimento da democracia em detrimento da manipulação política não-democrática, maior transparência e menor corrupção, melhor competição econômica e melhoria das condições de vida.

O papel das mulheres

Gülen declarou, em várias ocasiões, que a interpretação turco-religiosa do Islã é formada, essencialmente, pela escola de pensamento Hanafi, as mulheres podem ser qualquer coisa na sociedade, incluindo juízes, ministras, primeiras-ministras e presidentes. Não há profissão que esteja além de seus limites. No entanto, é fácil de perceber que algumas profissões não são vistas como ideais para mulheres, tais como combates militares.

Mulheres participam em todas as instituições associadas ao Movimento, como professoras ou administradoras de escolas, colunistas, produtoras ou diretoras de instituições de mídia, médicas em hospitais.

A questão curda

Sobre a questão curda, as visões de Gülen podem ser resumidas como uma combinação de cinco fatores:

1. Tratar das queixas da população;
2. Ênfase em elementos culturais comuns;
3. Educação e desenvolvimento econômico;
4. Líderes de opinião;
5. Equilibrar diplomacia e o uso da força;

A questão Alevita

Gülen promove a construção de cemevis (djemevi) ao lado de mesquitas em locais onde existe uma comunidade alevita. Gülen promove, também, a documentação da tradição oral alevita para prevenir abusos por motivos políticos.

As minorias religiosas e o diálogo inter-religioso

Gülen foi um dos pioneiros do diálogo inter-religioso, na Turquia e no exterior. Vale lembrar que a Turquia teve sua independência declarada após a Primeira Guerra Mundial, depois de um período conturbado da formação do Estado, e depois de uma guerra contra a ocupação, na qual todos os inimigos eram cristãos. Na década de 1990, muitos anos antes do 11 de Setembro, Gülen promoveu diálogo inter-religioso dizendo que, como líderes de comunidades religiosas, eles precisavam mostrar solidariedade para demonstrar que religião não é e não deve ser motivo de conflito. Ele encontrou e coordenou eventos com líderes ortodoxos gregos, armênios, judeus e outras comunidades religiosas, na Turquia. Até hoje, eles continuam amigos próximos.

Os esforços de Gülen serviram como abertura para uma nova página nas as relações inter-religiosas, na Turquia, transformando suspeitas em colaboração. A Direção Assuntos Religiosos do governo estabeleceu um escritório de diálogo inter-religioso. Depois destas iniciativas, escritórios do primeiro-ministro, universidades e prefeituras participaram de atividades inter-religiosas. Devido à importância das suas iniciativas, Gülen recebeu uma audiência pessoal com o, falecido, papa João Paulo II. Estas ações corajosas tinham um preço. Gülen foi criticado e acusado por círculos radicais de ser um cristão disfarçado ou um cardeal oculto de Roma.

A não-violência

A postura de Gülen contra a violência tem sido constante desde os anos de 1970. Durante os anos de anarquia política, Gülen, consistentemente, denunciou terror, anarquia e violência, e instruiu seu público a nunca responder à violência com violência. Durante a primeira Guerra do Golfo – em sermões, em mesquitas, na presença de milhares de muçulmanos – ele protestou contra os foguetes de Saddam terem civis israelenses como alvo. Após o 11 de Setembro, ele condenou o ataque com um anúncio no Washington Post. Chamou Bin Laden, assim como as pessoas ao seu redor, de monstros. Ele condenou as ações de Bin Laden tanto por razões humanitárias quanto religiosas.

Ciência e arte

Gülen promoveu ciência e artes em várias obras. Em seu trabalho intitulado “The Statue of Our Souls” (A Estátua de Nossas Almas), ele descreve novos horizontes para artes e ciência como ideais para as novas gerações.

Nacionalismo

Patriotismo, não racismo. Orgulho nacional inclusivo, positivo, baseado em afinidades, não em antagonismo. Com participação curda. Papel, geralmente, positivo da nação turca, abrangendo todas as etnias da Anatólia.

* Por Dr. Alp Y. Aslandoğan, presidente da Alliance for Shared Values (Aliança por Valores Compartilhados), 17 de junho de 2009. - See more at: http://pt-hizmetmovement.blogspot.com.br/p/gulen-movement.html#sthash.F75eb241.dpuf